Ocorreu um erro neste gadget

16 agosto 2006

COMO SE EDUCA SEM VIOLÊNCIA !?

O DR. ARUN GANDHI, NETO DE MAHATMA GANDHI E FUNDADOR DO MK GANDHI INSTITUTE, CONTOU A SEGUINTE HISTÓRIA SOBRE A VIDA SEM VIOLÊNCIA, NA FORMA DA HABILIDADE DE SEUS PAIS EM UMA PALESTRA PROFERIDA EM JUNHO DE 2002 NA UNIVERSIDADE DE PORTO RICO:

"EU TINHA 16 ANOS E VIVIA COM COM MEUS PAIS, NA INSTITIÇÃO QUE MEU AVÔ HAVIA FUNDADO, E QUE FICAVA A 18 MILHAS DE DURBAN, NA ÁFRICA DO SUL. VIVÍAMOS NO INTERIOR, EM MEIO AOS CANAVIAIS, E NÃO TÍNHAMOS VIZINHOS, POR ISSO MINHAS IRMÃS E EU SEMPRE FICÁVAMOS ENTUSIASMADO COM A POSSIBILIDADE DE IR ATÉ A CIDADE PARA VISITAR OS AMIGOS E IR AO CINEMA.
CERTO DIA MEU PAI PEDIU-ME QUE O LEVASSE ATÉ A CIDADE, ONDE PARTICIPARIA DE UMA CONFERÊNCIA DURANTE TODO O DIA. EU FIQUEI RADIANTE COM ESTA OPORTUNIDADE. COMO ÍAMOS ATÉ A CIDADE, MINHA MÃE ME DEU UMA LISTA DE COISAS QUE PRECISAVA DO SUPERMERCADO E, COMO PASSARÍAMOS O DIA TODO, MEU PAI ME PEDIU QUE TRATASSE DE ALGUNS ASSUNTOS PENDENTES, COMO LEVAR O CARRO À OFICINA.
QUANDO ME DESPEDI DE MEU PAI ELE ME DISSE: "NOS VEMOS AQUI ÀS 17 HORAS, E VOLTAREMOS PARA CASA JUNTOS".
DEPOIS DE CUMPRIR TODAS AS TAREFAS, FUI ATÉ O CINEMA MAIS PRÓXIMO. DISTRAÍ-ME TANTO COM O FILME (UM FILME DUPLO DE JONH WAYNE) QUE ESQUECI DA HORA. QUANDO ME DEI CONTA DO ERAM 17H30. CORRI ATÉ A OFICINA , PEGUEI O CARRO, PEGUEI O CARRO E APRESSEI-ME A BUSCAR MEU PAI. ERAM QUASE 6 HORAS.
ELE ME PERGUNTOU ANSIOSO: "POR QUE CHEGOU TÃO TARDE?"
EU ME SENTI MAL PELO OCORRIDO, E NÃO TIVE A CORAGEM DE DIZER QUE ESTAVA VENDO UM FILME DE JONH WAYNE. ENTÃO, LHE DISSE QUE O CARRO NÃO FICARA PRONTO, E QUE TIVERA QUE ESPERAR. O QUE EU NÃO SABIA ERA QUE HAVIA TELEFONADO PARA OFICINA. AO PERCEBER QUE EU ESTAVA MENTINDO, DISSE-ME: "ALGO NÃO ESTÁ CERTO NO MODO COMO O TENHO CRIADO, PORQUE VOCÊ NÃO TEVE A CORAGEM DE DIZER A VERDADE. VOU REFLETIR SOBRE O QUE FIZ DE ERRADO A VOCÊ. CAMINHAREI AS 18 MILHAS ATÉ A NOSSA CASA PARA PENSAR SOBRE ISSO".
ASSIM, VESTIDO EM SUAS MELHORES ROUPAS E CALÇANDO SAPATOS ELEGANTES, COMEÇOU A CAMINHAR PARA CASA PELA ESTRADA DE TERRA SEM ILUMINAÇÃO.
NÃO PUDE DEIXÁ-LO SOZINHO...GUIEI POR CINCO HORAS E MEIA ATRÁS DELE...VENDO MEU PAI SOFRER POR CAUSA DE UMA MENTIRA ESTÚPIDA QUE EU HAVIA DITO.
DECIDI DALI MESMO QUE NUNCA MAIS MENTIRIA.
MUITAS VEZES ME LEMBRO DESTE EPISÓDIO E PENSO: "SE ELE TIVESSE ME CASTIGADO DA MANEIRA COMO NÓS CASTIGAMOS NOSSOS FILHOS, SERÁ QUE TERIA APRENDIDO A LIÇÃO?"
NÃO, NÃO CREIO. TERIA SOFRIDO O CASTIGO E CONTINUARIA FAZENDO O MESMO. MAS ESTA AÇÃO NÃO-VIOLENTA FOI TÃO FORTE QUE FICOU IMPRESSA NA MEMÓRIA COMO SE FOSSE ONTEM.
ESTE É O PODER DA VIDA SEM VIOLÊNCIA."


(JORNAL DA FARMÁCIA SANTANA, ANO V, Nª45 - ABRIL/2005)

Nenhum comentário: