Ocorreu um erro neste gadget

20 agosto 2013

PAZEAR = UM VERBO ESQUECIDO!

Paz + Ação = Verbo Pazear

Eu pazeio
Tu pazeias
Ele pazeia
Nós pazeamos 
Vós pazeais
Eles pazeiam
 
Imagem de Autor Desconhecido

(PAZEAR)
 Verbo intransitivo que segundo o dicionário significa: Estabelecer a Paz ou Harmonia.



16 dezembro 2012

VOCÊ É PACÍFICO - PACIFICADOR - PACIFISTA OU PASSIVO?


Pintura em Gestos de Paz - Zau Pimentel - 2001
 

Paz não é sinônimo de passividade, acomodação e ou inércia, como muito de nós pensamos equivocadamente, mas sim ação, proatividade, aprendizagem, transformação, conquista e luta cotidiana para a construção da Cultura da Paz.

Pacífico:  É aquele que comporta-se de forma harmoniosa e equilibrada em sua vida pessoal, buscando o auto aperfeiçoamento.

PacificadorÉ aquele que pacifica nas ações sociais, faz com que a paz realmente floresça nas mentes e corações daqueles que estão próximos de nós.

Pacifista: É aquele indivíduo que age, atua e movimenta-se na construção e no estabelecimento da paz,  de forma individual e ou coletiva, contribuindo sempre com a harmonia de todos nos níveis: pessoal, social e ambiental.

Passivo: É aquele que não ajuda nesta construção, mas atrapalha, porque mesmo não sendo violento ou desarmônico, percebe as situações conflituosas em seu contexto e não constrói nenhuma ação pela transformação que contribua para a Cultura da Paz.
 

E você: é Pacífico, Pacifista, Pacificador e ou Passivo?

 O que você faz pela Paz neste momento e cotidianamente?



22 abril 2012

DIA INTERNACIONAL DA TERRA




O FUTURO DA TERRA ESTÀ EM SUAS MÃOS

Hoje, 22 de abril é o dia internacional do planeta Terra, que nesta data especial todos nós possamos refletir sobre as nossas ações mediante o bom uso dos seus recursos naturais.

O Dia da Terra foi criado pelo senador americano Gaylord Nelson, no dia 22 de Abril de 1970. Tem por finalidade criar uma consciência comum aos problemas da contaminação, destruição, conservação da biodiversidade e de muitas outras preocupações ambientais para proteger a Terra.

A Terra  é um ser vivo,  a casa de todos os seres vivos que caminham dentro de um processo evolutivo. Nesta data, a Cultura da Paz pode contibuir para que todos os educandos sejam sensibilizados para  à tomada de consciência dos recursos na naturais da Terra e do seu manejo, para à educação ambiental e à participação como cidadãos ambientalmente conscientes e responsáveis.

Com isso, no Dia da Terra vem ganhando destaque a cada ano em várias partes do mundo, todos nós estamos convidados a participar de atividades que promovam a saúde do nosso planeta, tanto a nível global como regional e local.

O que você pode fazer dentro do seu contexto global, regional e ou local para ajudar a  preservar o planeta Terra?

 

05 abril 2012


Boa Páscoa, leitores!

Que possamos nesta data, repensar e refletir sobre a vitória da vida sobre a morte e do sacríficio da verdade sobre o amor. Jesus representou nesta passagem de libertação, o grande exemplo de amor ao próximo e da valorização e do amor pela da vida.

Que possamos aprender a transformar as velhas formas do nosso viver, libertando-nos de todos os males e das paixões inferiores que insistem em nos tirar das práticas do bem, do amor e do belo.

Neste atual momento em que  nossa sociedade, em alguns momentos beira à bárbarie, que possamos enfim, aprender a amar, simplesmente amar, na verdadeira acepção da palavra, como o Grande Mestre simplesmente nos ensinou.

Que possamos parar um pouco para refletir sobre a mensagem de paz  como base de transformação da vida  e  do amor, como base se sustentação, contida no Sermão do Monte, que você poderá ler lodo adiante:

 "Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o rei... dos céus;
Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;
Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;
Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;
Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.
Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós."
(Mateus 5.3-12)


Ame-se, pacifique-se, liberte-se e transforme-se em tudo o que você podeira ser...Feliz Páscoa!

Muita paz!




26 março 2012

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA PARA A PAZ




Brasília: UNESCO, Fundação Vale, 2008. 109 p.
ISBN: 978-85-7652-078-8
Download gratuito (PDF, 1.7 Mb)
Distribuição Institucional - Como Adquirir
Resumo: Edição revisada do livro texto do programa, que inclui referências conceituais e institucionais, como ainda o histórico de sua implementação desde o início, em 2000.

Acesse o site da UNESCO para saber mais informações e baixar gratuitamente:


13 março 2012

O DESCONFORTO ANDA SOLTO NO MUNDO!




Gente, o que que há com nós? Por que tanta brutalidade?

Quando realmente nos comportaremos como seres humanos?

Quando realmente nos humanizaremos?

Por que não usamos nossa preciosa alma para criar, amar, pacificar, tornar-se pessoa e buscar ser feliz?

Por que não assumimos o nosso papel de cocriação do Universo, mas assumimos o de destruidor?

Por que somos tão omissos, enquanto a vida lá fora pega fogo?

Por que insistimos em violentar, agredir, manipular, perverter, roubar, matar...gratuitamente ou não?

Necessitamos urgentemente mobilizar as redes sociais e toda a população para fomentar uma campanha séria contra a escalada da violência em nossa cidade-estado-país, esta situação já está ultrapassando todos os limites e a barreira do insuportável.

Será que não nos sentimos acuados e incomodados?

Porque as pessoas que tem uma consciência maior se calam?

Nos preocupamos com tantas banalidades e futilidades, por que não nos preocupamos com o que realmente importa, como bem disse Zélia Duncan em sua bela canção: "O desconforto anda solto no mundo e você sempre junto e você sempre atento ao que menos importa".

Vamos nos indignar, nos importar com o que realmente importa  na vida, que é a dignidade humana, não só à nível pessoal, mas no social e ambiental também.

Vamos agir, o momento agora é de ação-mobilização. Usemos nossas forças para sermos melhores e buscar o melhor para todos, a nossa irmandade em humanidades.

Sejamos mais solidários, inclusivos, amorosos, pacíficos uns com os outros, neste momento delicado que nossa cidade está passando!

Desenvolvamos  cada vez mais a  nossa preciosa inteligência,  cratividade,  vontade,  respeito,  ética, bom-senso, bem-querer, sensatez, compreensão, consciência, lucidez na forma de pensar, falar, sentir, intuir e agir!

Usemos nossas belas mãos para criar e construir ao invés de destruir!

Chega de roubos, assaltos, assassinatos, medos, estupros, corrupções, crimes, repressões, opressões, preconceitos, discriminações, maldades, picuinhas, políticas do pão e circo...

Conscientizemos-nos que a Paz e o Amor são as maiores possibilidades de educarmos-nos para que realmente sejamos mais humanos, dignos, poe-éticos e este-éticos!!!!

Amemos a vida, está tudo estranho, mas ela é bela! Nós é que nos cegamos prá o bem e o belo da vida! Abramos os olhos e se comprometa com alguma mudança!

Veja o clipe da música com a querida Zélia Duncan:

http://www.youtube.com/watch?v=3nVK_ZER-JY&feature=BFa&list=PL24A0C8AECF9B0B36&lf=results_main



30 janeiro 2012

CULTURA DA NÃO-VIOLÊNCIA



Você sabe o que é Não-Violência?


Gandhi foi o maior divulgador da Não-Violência em todo o mundo,  pregou uma lenta revolução pacifista em seu país, sem utilizar nenhuma espécie de arma, tentando libertar a Índia dos britânicos que governaram-na arbitrariamente. Gandhi queria que seu país fosse livre, que o povo não fosse tratado como escravo e que todos tivessem direitos iguais, independente do sexo, casta,  raça ou religião.

A palavra Não-Violência não foi inventada por Gandhi, ele sempre ressaltava que a não-violência era tão velha quanto as montanhas. Na verdade, é um termo sâncristo formado pelo prefixo negativo “A” e pelo substantivo "Himsa"  que significa "Violência" - "O desejo de causar dano ou de causar violência a um ser vivo", daí surgiu o termo "Ahimsa", que quer dizer "Não-Violência".

O Ahimsa é portanto: o reconhecimento das forças instintivas sobre a razão; o refreamento do ódio, a substituição da reação pela ação consciente; o domínio e a renúncia ao desejo de violência que há no interior do  homem e que o conduz a querer afastar, excluir, eliminar, odiar, agredir e matar o outro homem.

Contudo, dentro da visão de Gandhi, a definição do termo é a seguinte: “A não-violência perfeita é a abstenção completa da intenção de causar mal a qualquer ser vivo”.  “Em sua forma ativa, a não-violência é a tolerância para com qualquer ser vivo”.

Segundo o filósofo Jean-Marie Muller (Tradução de Inês Polegato), ele compreende que para  Gandhi: "A não-violência não é apenas nem em primeira instância um método de ação, é uma atitude, isto é, um olhar, um olhar de bondade para com o outro homem, sobretudo em relação ao homem diferente, o desconhecido, o estrangeiro, o intruso, o inoportuno, o inimigo, um olhar também de compaixão para com o homem oprimido, aquele que sofre a injustiça, a humilhação, o ultraje."

Outra palavra utilizada por ele para reforçar esta atitude de bondade  e complementar o ideal de  cultura da não-violência  foi "Sathya" que  também em sânscrito,  significa "Verdade". Com isso, o  tema central do pensamento e das ações do grande pacificador indiano, se baseava justamente nesses dois conceitos: "Ahimsa" e "Sathyagraha" que se resume na: Conquista da Verdade através do uso da Não-Violência.

Segundo seus biógrafos, toda a vida de Ghandi foi uma luta pela conquista da verdade e pela necessidade diária de praticar a não-violência. Suas falas, seus escritos, seus discursos,  seu comportamento; tudo invocava constantemente a verdade e a não-violência como  possibilidade de resistência pacífica. Segue abaixo, como exemplo, alguns dos seus pensamentos concernentes  a esta prática ideológica:


"A não violência nunca deve ser usada como um escudo para a covardia. É uma arma para os bravos."

"Quem busca a verdade, quem obedece a lei do amor, não pode estar preocupado com o amanhã."

"A humanidade não pode liberar-se da violência mais do que por meio da não-violência."

"A verdade jamais prejudica a uma causa que é justa."

"A violência é o medo aos ideais dos demais."

"A verdade é totalmente interior. Não há que a procurar fora de nós nem querer realizá-la lutando com violência com inimigos exteriores."

"O que se obtém com violência, somente se pode manter com violência."

"Unir a mais firme resistência ao mal com a maior benevolência para com o malfeitor. Não existe outro modo de purificar o mundo."


Ghandi viveu exatamente o oposto da violenta "Lei do Talião", que é a antiga lei do "olho por olho, dente por dente". Gandhi seguia a mesma ideologia dos grandes profetas: Sidartha Gautama "O Buda" e Jesus Cristo, onde  a não cooperação com o mal deveria ser um dever sagrado e de todos.

Ele acreditava que as religiões que separam seus fiéis uns dos outros, que não seguem a ideologia do amor e da unidade na diversidade, este um grande valor da cultura da não-violência, jamais poderá pregar a paz universal, pois não existe "aquela religião" que seja "a certa" - todos somos iguais e todos temos os mesmos direitos, ideologias diferentes existem, mas todos somos irmãos. Segue abaixo, outros exemplos  dos seus ricos  pensamentos relativo a importância do amor como superação da violência nas relações humanas:


"Olho por Olho, e o mundo acabará cego."

"A não-violência não existe se apenas amamos aqueles que nos amam. Só há não-violência quando amamos aqueles que nos odeiam. Sei como é difícil assumir essa grande lei do amor. Mas todas as coisas grandes e boas não são difíceis de realizar? O amor a quem nos odeia é o mais difícil de tudo. Mas, com a graça de Deus, até mesmo essa coisa tão difícil se torna fácil de realizar, se assim queremos."

"O amor é a força mais sutil do mundo."

"Só podemos vencer o adversário com o amor, nunca com o ódio."


No mundo atual, a Não-Violência vem sendo amplamente utilizada em movimentos pela  construção da paz, pelo trabalho digno, pela necessidade de tolerância religiosa,  pela defesa do meio ambiente, pelos direitos das mulheres, etc.No entanto,  na sua essência a reflexão filosófica do princípio da não-violência era utilizada para fundamentar a humanidade do homem e na experimentação política dos métodos de ação não-violenta que permitem a resolução pacífica dos conflitos.

Para vencer a violência Gandhi  acreditava no desenvolvimento de uma Cultura da Não-Violência  e na educação, como a  maior força motriz deste princípio,  apostava no potencial humano, que estava  na necessidade do indivíduo de  conhecer a si mesmo, suas potencialidades e dificuldades para poder se  autogovernar e  colaborar com a Humanidade  em  torno  de   uma  cidadania  política, consciente, ética, verdadeira, justa amorosa  e  pacífica; daí ele afirmava que:


"A verdadeira educação consiste em obter o melhor de si mesmo. Que outro livro se pode estudar melhor do que o da Humanidade?"


Com isso, neste processo educacional faz-se necessário ampliar a percepção acerca desta proposição, daí  novamente Jean-Marie Muller  afirma que: "Gandhi  nos convidava a revisitar as heranças de nossas tradições históricas – tanto filosóficas, religiosas quanto políticas - e a tomar consciência de todas as cumplicidades com o império da violência mantidas até hoje por nossa cultura...".

Ainda segundo Muller, completando o pensamento anterior, nesta perspectiva gandhiana, ele  assinala dois aspectos que ameaçam o  desenvolvimento da Cultura  da Paz e da Não-Violência e que merecem a nossa atenção e reflexão dentro e fora das escolas:


- "O que ameaça a paz no mundo e em cada uma de nossas sociedades são as ideologias fundadas na discriminação e na exclusão – quer se trate de nacionalismo, racismo, xenofobia, integrismo religioso ou toda e qualquer doutrina econômica fundamentada apenas na procura pelo lucro – todas comprometidas com a ideologia da violência."


- "O que ameaça a paz, definitivamente, não são os conflitos, mas a ideologia que faz os homens acreditarem que a violência é o único meio de resolver tais conflitos. Essa ideologia ensina o menosprezo ao outro, o ódio ao inimigo; arma os sentimentos, os desejos, as inteligências e os braços. Ela instrumentaliza o homem fazendo dele um homicida com a consciência tranqüila. Portanto, é ela que deve ser combatida em primeiro lugar."


Como reflexão sobre este assunto tão instigante, fica a pergunta: É possível educar sem violência? Dentro dos príncipios da Não-Violência como nos ensinou Gandhi? Comente!



"A Não-Violência é a maior força da Humanidade"
Mahatma Gandhi


Fontes:






PS: O site do Comitê Paulista pela Decada da Cultura da Paz, publicou um artigo interessante, intitulado de "64 Maneiras de se praticar a Não-Violência", acesse o link abaixo e exercite-se com seus alunos, familiares, vizinhos, etc:

http://www.comitepaz.org.br/64_maneiras_1.htm


Muita Paz!

20 janeiro 2012

PAZ, RESPEITO E TOLERANCIA RELIGIOSA


Sem respeito a dignidade humana e tolerância com as diferenças sejam elas: religiosa, sexual, socioeconomica, etnico-racial, de genero... dificilmente iremos construir um mundo com e em paz!

Necessitamos refletir sobre a importância da unidade na diversidade, porque a paz se aprende justamente nas adversidades; Deus nos fez diferentes, porem, nos deu o parentesco de irmandade, ou seja, de irmãos em Humanidades para que fosse garantida a nossa igualdade perante o oceano de sua Onisciência.

Na realidade, o que vemos é o contrário, irmãos em total estado defensivo, combatendo uns aos outros, prestes a criar uma guerra religiosa, ao invés de se amarem como o Mestre Jesus e muitos outros icones religiosos orientais e ocidentais nos ensinaram.

Deus é visto como se fosse diferentes Deuses, um para cada instituição religiosa, sendo que o mais contraditorio e que todos pregam um Deus Único; Mas, na convivência com os diferentes grupos religiosos, podemos observar que o que prevalece são os dogmas instituicionais e não o Amor que realmente nos une e que já deveriamos ter aprendido

Falta a todos nós a vivência do que mais interessa no processo religioso, que é a vivência dos valores ético-morais  para que assim aprendamos a ser mais fraternos e solidários uns com outros e não mais egoístas, ignorantes e alienados.

Penso que nós, só aprenderemos  a ter consciência religiosa e a viver a paz com as diferentes formas de  buscar e contactar Deus, no dia em que aprendermos a ter consciência espiritual e compreendermos que somos Espíritos vivendo uma realidade material; Que possuímos uma essência divina, com todo o potencial para a evolução na senda do bem, do amor, da paz, do belo, da verdade, da caridade, da justiça... a espera de ser despertada e vivenciada.

Deus é Único e é o nosso Pai Maior, somos os teus filhos, muitas vezes rebeldes, mas,  Ele nos ama como somos, independente da forma como O buscamos e O encontrarmos.

Necessitamos orientar nossos educandos e nossos irmãos em Humanidades que Deus está dentro e não fora, e que nenhum processo religioso deve ser  mais importante  que Ele; ajudá-los a percber que  nossas ações, pensamentos e sentimentos devem refletir os seus ensinamentos e só assim conseguiremos respeitar e tolerar as diferenças.

Participe de algum movimento em sua cidade e colabore com a Paz no mundo!

Muita paz para todos nós, definitivamente irmãos em Humanidades!

11 janeiro 2012

GUIAS GRATUITOS DA EDUCAÇÃO


Acesse e visualize essas dicas. Para ampliar o cartaz basta clicar no + e dar zoom.


 SEJA UM MULTIPLICADOR!!!!

A Editora Abril, através do site Educar para Crescer, está disponibilizando cartilhas com ideias simples e rápidas para que todos nós possamos participar da melhoria da Educação.


No link abaixo (página do site da editora) você encontrará cartilhas interessantes e diferentes,  como: Guia Da Educação Infantil, Novo Guia Da Educação Em Família, Guia Da Educação Em Família - Alfabetização, Guia Da Educação Para Jovens, Guia Da Educação Em Familia Para Escolas Públicas, Guia Da Educação Em Familia Para Escolas Particulares, Guia Do Investimento Em Educação Para Empresários, Guia Do Voto Consciente.

 

Baixe, imprima e passe a idéia adiante!



06 janeiro 2012

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA PARA A PAZ 4


              "Recuperar a unidade perdida significa reconquistar a paz"  Pierre Weil

Este importante livro de Pierre Weil, grande trabalhador da construção e divulgação da Cultura da Paz, abre espaço para refletirmos sobre a Educação para a Paz.

Em suas páginas, inicialmente, Weil fala sobre a complexidade da vida e da fragmentação imposta pelas ciências frente aos conhecimentos adquiridos pela humanidade, com a necessidade de retornar ao universal, à globalidade; para isso a educação para a paz seria o caminho integrando-se à arte de viver, assunto que também é de complexidade infinita e requer um tratamento holístico.

Ele alerta sobre o crescente interesse da humanidade pela mudança de uma realidade de guerra e violência por uma de paz, com  de indivíduos que rejeitam a fragmentação da vida que nos foi imposta ao longo de cinco séculos de império absoluto da razão.

E neste período de transformação nasceria uma nova percepção das coisas, que buscaria restituir a unidade ao conhecimento, com o objetivo de atingir a sabedoria e a plena consciência. Essa nova percepção é também chamada de “visão holística”.

Com esta visão holística, a Educação  para a Paz  deverá ser transdisciplinar e interculturalo encontro entre a ciência moderna, os estudos transpessoais e as tradições espirituais, devendo começar pelos próprios educadores, onde o exemplo de sua paz interior e da sua habilidade para irradiá-la e desenvolvê-la permitirá que  orientemos sem imposições os nossos educandos em seu processo individual de conscientização para a paz e das possíveis mudanças nos níveis: pessoal, social e ambiental. 

Com isso, um dos principais objetivos deste livro é indicar aos educadores os meios pelos quais, eles alcançarão a transformação da sua própria consciência e a dos seus alunos, sugerindo dados teóricos e recomendações que possam ser transformadas em planos de ação pedagógica.

Assim, cada exposição teórica será acompanhada de uma orientação metodológica que auxilie o educador a desenvolver ou despertar o sentimento pela paz.

Este livro não é um manual  com  teorias definitivas,  Weil sugere uma alternância entre estudo teórico e experiências vividas, confrontando o conteúdo deste manual com a sua prática e percebendo os conselhos que a vivência escolar lhe dá, só depois, retornar para o intelecto e tirar as próprias conclusões sobre o que é importante ou não como método. 


Neste link abaixo você terá um resumo comentado do livro:


Neste outro link você encontrará o texto do livro na íntegra para leitura, mas sugerimos que compre o livro fisicamente:

Boa Leitura!

Muita paz

29 dezembro 2011

FELIZ ANO NOVO! FELIZ TRANS-FORMA-AÇÃO!


“Somos a transformação que queremos no mundo.”
Mahatma Gandhi
 

Abro espaço para esta publicação não só para desejar um Ano Novo cheio de realizações nas práticas da paz, do amor, do bem, do belo e do verdadeiro, como também para anunciar que 2012 será marcado como o "ano das ações", das atitudes proativas e afirmativas, no campo da prática.

Embora a promoção de  ações sejam importantes no ano vindouro, não podemos esquecer e ou negligenciar  os aspectos dos conhecimentos (teóricos), pois estes serão sempre necessários, não só para dar base  de sustentação a quaisquer projetos que estejamos imaginando e criando, como também para  nos ajudar no processo de libertação da ignorância, do medo, do egoísmo e de outros atavismos.

A palavra "ação" vem do verbo "agir" que significa: o estado ou processo de agir ou de fazer; , um ato ou algo feito ou realizado; atividade organizada para atingir um objetivo; a causa de uma mudança pelo exercício de poder ou de um processo natural; um movimento ou uma série de movimentos, a partir de um ato; uma a atividade vigorosa; um comportamento ou conduta; uma série de eventos e episódios que formam a trama de uma história, etc.

Toda ação feita de bom coração será bem-vinda! Por isso sugiro que cada um de nós crie e  inclua em nossa programação e na listas de objetivos para 2012, alguma ação importante para ajudarmos na construção da Cultura da Paz e Não-Violência Ativa.

Esta ação pacífica e pacifista (nunca passiva) poderá ser desde uma ação simples até uma complexa, desde que seja dentro das nossas reais possibilidades e da melhor forma que pudermos realizar, em casa com a família, no trabalho, na vizinhança, na comunidade, com a natureza, etc.

O mais importante é que no processo da construção da Cultura da Paz, a  ação pensada  deverá  produzir ou pelo menos  impulsionar  alguma  trans-forma-ação em nosso comportamento (vida) e  ou levar as  pessoas ao nosso redor  a  refletirem sobre a importância da mudança e das suas possibilidades de realização,  para que assim, possamos vislumbrar  novas formas de convivência e  viver com uma melhor qualidade de vida.

Já a palavra "transformação" vem do verbo "transformar" que significa: ato ou efeito de transformar (se); dar (nova) forma; converter; mudar;  transfigurar;  metamorfosear; transmudar; transmutar, resignificar, etc.

Como transformar é algo bem mais complexo e profundo do que imaginamos, que exige de nós um processo de aprendizagem,  não podemos deixar de lançar mão do tempo, pois mudar implica alteração das características mais relevantes das coisas e das situações e não somente uma modificação superficial e simplista para maquiar a realidade.

Portanto, se queremos realmente  um mundo melhor, mais  humano,  ético, feliz, pacífico e  amoroso;  menos violento, desvairado e agressivo  precisaremos dedicar nosso precioso tempo neste desafio, emulando ações transformadoras, sejam elas de opinião, de comportamento, de vida pessoal, social e ambiental...

Não esquecendo que todo processo de trans-forma-ação deve ser progressivo e contínuo, não podemos pensar que acontecerá da noite para o dia. A cada dia devemos nos esforçar para vivermos uma vida melhor (acertando-errando, mas sempre compreendendo(se), perdoando (se), amando (se).

E para concluir, é necessário que utilizemos mais a Arte, com todo o seu poder transformador em nossa vidas para que possamos (re) criar  e  (re) inventar novas possibilidades de viver a vida com paz, amor, beleza, bondade, caridade,  felicidade, verdade, ética, otimismo, gentileza...

Veja então, o clipe da canção "Tempo Rei" de Gilberto Gil, onde o tempo é simbolizado como um importante instrumento para nos ajudar a transformar as velhas formas do viver, clique no link abaixo:


http://www.youtube.com/watch?v=CTJdrLuNVzQ


Feliz Ano Novo, repleto de ações, tras-forma-ções e realizações!

Muita paz!

27 dezembro 2011

MEDITAÇÃO PELA PAZ MUNDIAL

TERMINE O ANO COLABORANDO COM A PAZ DO MUNDO!

E COMECE O PRÓXIMO PROJETANDO UMA AÇÃO INDIVIDUAL E OU COLETIVA PARA A CONSTRUÇÃO DA CULTURA DA PAZ!


 


 
UMA DAS FORMAS DE CONSTRUIR A CULTURA DA PAZ  É ACESSARMOS INDIVIDUALMENTE E OU EM GRUPO O CAMPO DE RESSONÂNCIA MÓRFICA DA PAZ,  E É ATRAVÉS DA MEDITAÇÃO QUE CONSEGUIREMOS ESTE ACESSO!

NESTE DIA ESPECIAL (31/12 - ÀS 10H) ONDE ESTIVERES (EM CASA, NA RUA, NO TRABALHO, NO LOCAL DO ENCONTRO, CASO POSSA IR), NÃO IMPORTA O LUGAR, BASTA APENAS QUE VOCÊ USE TODA A SUA VIBRAÇÃO PARA A PAZ: RESPIRE, SILENCIE, PENSE, MENTALIZE, REFLITA, SINTA..., COLABORANDO COM A SUA ENERGIA PARA A PAZ DO MUNDO!

TODOS SOMOS POTÊNCIAS DE PAZ!

FELIZ ANO NOVO!

MUITA PAZ

23 dezembro 2011

FELIZ NATAL PARA OS QUERIDOS LEITORES!



"Senhor, que és o céu e a terra, que és a vida e a morte! O sol és tu e a lua és tu e o vento és tu! Tu és os nossos corpos e as nossas almas e o nosso amor és tu também. Onde nada está tu habitas e onde tudo está - (o teu templo) - eis o teu corpo.

Dá-me alma para te servir e alma para te amar. Dá-me vista para te ver sempre no céu e na terra, ouvidos para te ouvir no vento e no mar, e mãos para trabalhar em teu nome.

Torna-me puro como a água e alto como o céu. Que não haja lama nas estradas dos meus pensamentos nem folhas mortas nas lagoas dos meus propósitos. Faze com que eu saiba amar os outros como irmãos e servir-te como a um pai.

[...]

Minha vida seja digna da tua presença. Meu corpo seja digno da terra, tua cama. Minha alma possa aparecer diante de ti como um filho que volta ao lar.

Torna-me grande como o Sol, para que eu te possa adorar em mim; e torna-me puro como a lua, para que eu te possa rezar em mim; e torna-me claro como o dia para que eu te possa ver sempre em mim e rezar-te e adorar-te.

Senhor, protege-me e ampara-me. Dá-me que eu me sinta teu. Senhor, livra-me de mim."


Natal é a data para comemorarmos e refletirmos sobre o maior modelo e guia da Humanidade, o Mestre Jesus, em seu magnífico nascimento. Ele veio para este mundo acompanhado pela luz guia para ser orientado e  nos orientar  com todos os seus ensinamentos nas práticas do bem, do belo, da verdade, da caridade,  da paz  e  do amor,  é o nosso melhor e maior exemplo de como devemos agir em prol pela paz do mundo.

Jesus exaltou a harmonia da criatura perante a vida, o autoconhecimento, autoburilamento e   a  autotransformação como possibilidades de  aprendizagem  consciente para  a aquisição da  paz e do amor (Deus acima de todas as coisas = Paz com a Vida e a Natureza; o Próximo = Paz Social; como a Si Mesmo = Paz Pessoal).

A paz e o amor são o foco, a tônica para uma vida mais feliz, o maior presente que Ele nos deu e também, os presentes que devemos realmente oferecer aos nossos irmãos em humanidades. Então, que sejamos seres humanos melhores em 2012 e que neste Natal  possamos ser um grande presente para nós mesmos e para Jesus, investindo mais tempo e energia em nossas motivações interiores ( na satisfação da alma) e menos nas exteriores (satisfação dos sentidos.  

E como foi bem dito na oração "Senhor, livra-me de mim", no sentido de que o Grande Mestre nos ajude com sua luz  para que nos libertemos de nossas imperfeições, das más tendências, das paixões inferiores, dos prazeres egoícos, do orgulho, dos boicotes, dos vícios e hábitos perniciosos, da luta pelo poder, das ilusões do mundo, da fantasia da separatividade... enfim, dos nossos comportamentos desarmônicos que atrapalham a nossa existência e dos desencontros com a nossa essência divina.

Que possamos reencontrar e retornar à nossa essência divina, a nossa verdadeira natureza que é espiritual, aceitando e assumindo a vida com todas as suas possibilidades e responsabilidade; Conscientes de si e da realidade, buscando sempre um sentido para a vida  e o compromisso com a realização e cumprimento de nossas tarefas evolutivas, para que não nos boicotemos e nem a  destruamos em suas ricas oportunidades de ensino e aprendizagem.

Desejo para todos um Natal repleto de luz e mais vida para a nossa vida!

Clique no link abaixo e delicie-se com uma fantástica interpretação de Maria Bethânia para esta bela prece:

18 dezembro 2011

EXERCÍCIO PARA A PAZ 3


Técnicas de Respiração para a Paz



Você já parou para observar a sua respiração? 

Se você respondeu sim, provavelmente você respira bem; Mas se você respondeu não, é bom parar um pouquinho e perceber que você e a maioria de nós respiramos de forma errada.

A respiração correta garante maior saúde física, emocional, mental e espiritual. A respiração, segundo Marilu Martinelli, em seu livro Educação em Valores Humanos, "É vida, pois nosso organismo se nutre da força vital contida na corrente eletromagnética da respiração. Sem a respiração o corpo fenece, a mente não funciona e a consciência que se expressa através do corpo, mente e espírito cessa de manifestar-se na forma física".

O uso correto da respiração ajuda-nos em todos os sentidos, principalmente  no melhor desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem, quanto melhor for a respiração dos nossos educandos e também a nossa , melhor será o desempenho de todos, tanto na orientação e  assimilação dos conhecimentos, quanto na relações (intra) interpessoais.

Segundo o médico David Frowley, ratificando a colocação explicitada anteriormente por Martinelli : "Nossa energia vem, basicamente, da respiração (...) Se o cérebro não recebe a quantidade certa de oxigênio, não temos a energia vital suficiente para nos desenvolver e mudar".

A energia vital é a força que nos impulsiona  para à vida e nos dá disposição para as ações cotidianas, se queremos potencializar esta energia e contribuir para alcançar e manter a nossa saúde e bem-estar, necessitamos investir nosso tempo neste tipo de exercício. 

Por isso, para que  possamos  respirar de forma adequada, é necessário distinguir que a respiração pode ser feita duas formas:

  • A Respiração Diafragmática (lenta, longa, profunda, constante e ritmada): é quando respiramos corretamente, utilizamos o diafragma, que é um músculo que fica situado entre a cavidade torácica e a abdominal; melhorando a saúde física, mental e emocional, ajudando a eliminar o estresse, a ansiedade, a melhorar a concentração e o sono,  a purificar as células, a eliminar toxinas, a oxigenar melhor o cerébro e a melhorar a aprendizagem, elevando o estado de consciência para dar maior sensação de paz;
  • A Respiração Torácica (incompleta, curta, fracionada, instável e inconstante): é quando não respiramos com toda a nossa capacidade, utilizamos somente a parte superior do abdomem e assim comprometenos a nossa sáude física, mental e emocional, dificultando a eliminação de toxinas do organismo (intoxicação celular), provocando tensão musculares, acúmulo de gases, dor de cabeça, ansiedade, estresse, agitação, sonolência, cansaço, indisposição, doenças cardiovasculares e respiratórias, etc.  

Você sabia que respirar com consciência dá maior sensação de paz?
A paz, para se estabelecer  nos níveis: pessoal, social e ambiental necessita que seja aprendida, exercitada e conscientizada; sem consciência de si, da realidade e do mundo, não é possível construir a paz;  Então para utilizarmos nossa energia vital de forma a potencializar as nossas realizações e contribuir para a paz consigo próprio, com os outros e com a natureza, faz-se necessário respirar conscientemente.

Pois bem, respirar com consciência  é colocar a atenção no movimento do ar entrando e saindo do pulmão, respirando lenta e profundamente sempre que sentir necessidade. Separe uns dez minutos do seu dia, não importa o horário, o local, a situação - pode ser, inclusive, no pico de uma situação superestressante e começe a exercitar!


Técnica de Respiração Consciente para a Paz:

1.
Sente-se de forma confortável, com a coluna reta, para que a energia flua.;
2. Respire (inspire) profundamente, prenda o ar e expire lentamente;
3. Preste atenção no ritmo em que o ar entra e sai dos pulmões.
4. Aos poucos, vá controlando este intervalo, até que ele se torne bem espaçado;
5. Tente contar até dez enquanto inspira e, depois, quando solta a respiração, ou você pode utilizar algum tipo de mantra, como: "Eu sou Paz!" / "Aquieta-te e sabe: Vos sóis Deus!", etc;
6. Respita a operação quantas vezes for necessária, até que você sinta seu ser equilibrado e relaxado.

Quanto mais prolongadas as inalações, maior é a probabilidade de você fortalecer todo o seu corpo, controlar as emoções, acalmar a mente e fortalecer o espírito. Com isso, as preocupações, os medos, as atitudes depressivas, etc; por mais terríveis que sejam, acabam amenizadas, já que a energia passa a circular melhor por todo o organismo proporcionando bem-estar. Não se assuste caso venha a sentir um pouco de tontura, a sensação é normal, isso ocorre devido a falta de uma respiração correta e ao excesso de oxigênio que, de repente, passa a percorrer o organismo. 

Outras atividades auxiliares também podem ser associados em busca de melhorias na respiração, o esporte também pode ser um grande aliado, como natação, caminhada, futebol, etc; além d e outros exercícios alternativos como: RPG, pilates, acunpultura, meditação, yoga, etc.


Bom exercício respiratório e muita paz!!!