Ocorreu um erro neste gadget

09 abril 2010

CONSCIÊNCIA AMBIENTAL 2

Baseado na proposta das multidimensões da vida humana e na consciência do indivíduo como potência de paz de Assagioli/ Mesquita e de Weil, temos a seguir os e eixos norteadores da educação para a cultura da paz:


Consciência Ambiental (A arte de viver bem com o meio-ambiente):

É quando os indivíduos (educandos) aprendem a conviver em harmonia com o meio ambiente (natural), ou seja, os educandos precisam ter consciência de que cada um de nós é indissociável da natureza, que somos uma parte dela e ao mesmo tempo ela faz parte de nós. É preciso que eles superem a “fantasia da separatividade”, que consiste em crer que o sujeito e o universo não guardam nenhuma relação com a natureza e consigam restabelecer unidade perdida.

 1- Educação Ecológica para a Paz: é a consciência das manifestações energéticas indissociáveis no plano da natureza: matéria (corpo físico), vida (energia vital) e informação (comunicação e expressão do amor universal, das leis da sabedoria que dá ordem ao universo), é preciso sensibilizar os indivíduos (educandos) para perceberem que não existem fronteiras entre a sua natureza e a do universo. Para atingir este estágio estes precisam através da consciência ecológica aprender algumas informações pertinentes ao assunto:

 - A preservação do meio ambiente (equilíbrio dos ecossistemas): é a consciência da proteção da natureza independentemente de seu valor econômico e/ou utilitário, apontando o homem como o causador da quebra deste “equilíbrio” e propondo cuidados e manuntenção das relações energéticas ambientais, porque se uma peça deste xadrez ecológico muda, uma série de alterações ocorrerão também. Em outras palavras, “tocar”, “explorar”, “consumir” e, muitas vezes até “pesquisar”, torna-se, então, uma atitude que fere tais princípios.

- A conservação do meio ambiente: é a consciência do amor à natureza, mas aliado ao seu uso racional e manejo criterioso pela nossa espécie, executando um papel de gestor e parte integrante do processo. Podendo ser identificado como o meio-termo entre o preservacionismo e o desenvolvimentismo, o pensamento conservacionista caracteriza a maioria dos movimentos ambientalistas, e é alicerce de políticas de desenvolvimento sustentável;

- Desenvolvimento Sustentável: é a consciência das políticas públicas ou privadas que buscam um modelo de desenvolvimento que garanta a qualidade de vida hoje, mas que não destrua os recursos necessários às gerações futuras. Redução do uso de matérias-primas, uso de energias renováveis, redução do crescimento populacional, combate à fome, mudanças nos padrões de consumo, equidade social, respeito à biodiversidade e inclusão de políticas ambientais no processo de tomada de decisões econômicas são alguns de seus princípios;

- A Reciclagem: é a consciência do reaproveitamento e da transformação de recursos materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto;

- A Prociclagem: é a consciência da reutilização dos recursos naturais e dos recursos materiais beneficiados dando uma outra utilidade, podendo ser similar e ou diferente da sua função inicial;

- A Coleta Seletiva do Lixo: é a consciência do recolhimento dos materiais (considerados como lixo) que são passíveis de serem reciclados, previamente separados na fonte geradora. Dentre estes materiais recicláveis podemos citar: Azul - Papel/Papelão; Amarelo - Metal; Verde - Vidro; Vermelho - Plástico; Marrom - Orgânico; Laranja - Resíduos perigosos; Preto - Madeira; Cinza - Resíduos gerais não recicláveis e ou misturados, ou contaminado não passível de separação; Roxo - Resíduos radioativos e Branco - Resíduos ambulatoriais (serviço de saúde).

Nenhum comentário: