Ocorreu um erro neste gadget

12 abril 2010

GRANDES MESTRES DA PAZ 2


“Não há caminhos para a paz, a paz é o caminho.”

 
Mohandas Karamchand Gandhi, mais conhecido popularmente por Mahatma Gandhi ("Mahatma", do sânscrito "A Grande Alma"), foi um líder espiritual e pacifista indiano. Nasceu na cidade indiana de Bombaim, no ano de 1869. Foi tambem um dos idealizadores e fundadores do moderno estado indiano e um influente defensor do Satyagraha (princípio da não-agressão, forma não-violenta de protesto) como um meio de revolução. 
O princípio do satyagraha, freqüentemente traduzido como "o caminho da verdade" ou "a busca da verdade", também inspirou gerações de ativistas democráticos e antiracistas. Freqüentemente Gandhi afirmava a simplicidade de seus valores, derivados da crença tradicional hindu: verdade (satya) e não-violência (ahimsa).
Gandhi afirmou da necessidade de "uma paz real baseada na liberdade e igualdade de todas as raças e nações". Nos últimos anos de sua vida nos havia dito que "Violência é criada por desigualdade, a não- violência pela igualdade".Gandhi não apoiava a sua mensagem pacifista apenas nas palavras.
Toda a sua vida foi baseada nos princípios da paz, da verdade e da não violência. Foram esses valores que ele colocou a serviço da construção de um mundo melhor, um mundo mais pacífico, sem intolerância, ódio ou cobiça.

Alguns importantes ensinamentos do Mestre:

-A regra de ouro consiste em sermos amigos do mundo e em considerarmos como uma toda a família humana;
-A verdadeira educação consiste em pôr a descoberto ou fazer atualizar o melhor de uma pessoa. Que livro melhor que o livro da humanidade?;
-Aquele que não é capaz de governar a si mesmo, não será capaz de governar os outros;
-Ler e escrever, de per si, não são educação. Eu iniciaria a educação da criança, portanto, ensinando-lhe um trabalho manual útil, e colocando-a em grau de produzir desde o momento em que começa sua educação. Desse modo todas as escolas poderiam tornar-se auto-suficientes, com a condição de o Estado comprar os manufaturados produzidos por ela;
-Acredito que um tal sistema educativo permitira o mais alto desenvolvimento da mente e da alma. É preciso, porém, que o trabalho manual não seja ensinado apenas mecanicamente, como se faz hoje, mas cientificamente, isto é, a criança deveria saber o porquê e o como de cada operação;
-O mundo não é totalmente governado pela lógica: a própria vida envolve certa espécie de violência, e a nós nos nos compete escolher o caminho da violência menor;
-Acredito na essencial unidade do homem, e portanto na unidade de todo o que vive. Desse modo, se um homem progredir espiritualmente, o mundo inteiro progride com ele, e se um homem cai, o mundo inteiro cai em igual medida;
-O amor é a força mais abstrata, e também a mais potente, que há no mundo;
-Só podemos vencer o adversário com o amor, nunca com o ódio;
-A não-violência não existe se apenas amamos aqueles que nos amam. Só há não-violência quando amamos aqueles que nos odeiam. Sei como é difícil assumir essa grande lei do amor. Mas todas as coisas grandes e boas não são difíceis de realizar? O amor a quem nos odeia é o mais difícil de tudo. Mas, com a graça de Deus, até mesmo essa coisa tão difícil se torna fácil de realizar, se assim queremos;
-Creio que a não-violência é infinitamente superior à violência, o perdão é mais nobre que a punição;
-A única revolução possível é dentro de nós...

Nenhum comentário: