Ocorreu um erro neste gadget

06 abril 2010

MANIFESTO 2000 PARA UMA CULTURA DE PAZ DA UNESCO



A Assembléia Geral das Nações Unidas através da UNESCO UNESCO (Organizações das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) foi a responsável pela coordenação das atividades de comemoração do Ano Internacional por uma Cultura de Paz, proclamando o ano 2000 como o Ano Internacional por uma Cultura de Paz e a década de 2000-2010, como a Década Internacional por uma Cultura de Paz e Não-Violência para as crianças e os jovens no mundo.

O Manifesto 2000 por uma Cultura de Paz e Não-Violência foi escrito por um grupo de Prêmios Nobel da Paz, com o fim de criar um senso de responsabilidade que se inicia em nível pessoal - não se trata de uma moção ou petição endereçada às altas autoridades.
É responsabilidade de cada um colocar em prática os valores, as atitudes e formas de conduta que inspirem uma cultura de paz. Todos podem contribuir para esse objetivo dentro de sua família, de seu bairro, de sua cidade, de sua região e de seu país ao promover a não-violência, a tolerância, o diálogo, a reconciliação, a justiça e a solidariedade em atitudes cotidianas.

TEXTO DO MANIFESTO 2000 PARA UMA CULTURA DA PAZ E NÃO-VIOLÊNCIA

Reconhecendo a minha cota de responsabilidade com o futuro da humanidade, especialmente com as crianças de hoje e as das gerações futuras, eu me comprometo - em minha vida diária, na minha família, no meu trabalho, na minha comunidade, no meu país e na minha região - a:

1. Respeitar a vida e a dignidade de cada pessoa, sem discriminação ou preconceito;

2. Praticar a não-violência ativa, rejeitando a violência sob todas as suas formas: física, sexual, psicológica, econômica e social, em particular contra os grupos mais desprovidos e vulneráveis como as crianças e os adolescentes;

3. Compartilhar o meu tempo e meus recursos materiais em um espírito de generosidade visando o fim da exclusão, da injustiça e da opressão política e econômica;

4. Defender a liberdade de expressão e a diversidade cultural, dando sempre preferência ao diálogo e à escuta do que ao fanatismo, a difamação e a rejeição do outro;

5. Promover um comportamento de consumo que seja responsável e práticas de desenvolvimento que respeitem todas as formas de vida e preservem o equilíbrio da natureza no planeta;

6. Contribuir para o desenvolvimento da minha comunidade, com a ampla participação da mulher e o respeito pelos princípios democráticos, de modo a construir novas formas de solidariedade.



AINDA DÁ TEMPO DE PARTICIPAR...!








Um comentário:

Virginia disse...

Nesses momentos de tanta dificuldades de convivência, a cultura de paz possa cada vez mais ser difulgada e agregada às nossas vidas